SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número52O lugar dos negros na imagem de LisboaIntegração da perspectiva de género na agenda legislativa, com e sem quotas: estudo comparativo entre a Argentina e o Uruguai índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Sociologia, Problemas e Práticas

versão impressa ISSN 0873-6529

Sociologia, Problemas e Práticas  n.52 Oeiras  2006

 

Trajetória dos estudos de velhice no Brasil

Myriam Moraes Lins de Barros*

 

Este artigo pretende traçar a trajetória das pesquisas antropológicas sobre velhice realizadas no Brasil desde a década de 1970, e apresentar as discussões atuais e seus desdobramentos em projetos de investigação. Dentro do campo de estudos sobre velhice foram escolhidas algumas temáticas: identidade social, memória, trajetória de vida, sociabilidade, espaço urbano, trabalho e aposentadoria, gênero, família e corpo. O recorte histórico procurou apontar as questões teóricas que foram sendo incorporadas aos estudos, acompanhando os debates antropológicos sobre a sociedade contemporânea ao mesmo tempo em que mostra a possível interlocução da antropologia com outras áreas de conhecimento e com os problemas sociais da própria sociedade brasileira.

Palavras-chave velhice, antropologia urbana brasileira, memória

 

 

The trajectory of aging studies in Brazil

This article endeavours to trace the course of anthropological studies on aging carried out in Brazil since the 1970s and to present current discussions and their developments in research projects. Certain topics were selected within the field of studies on aging: social identity, memory, life courses, sociability, urban space, work and retirement, gender, family and the body. The historical picture sought to indicate the theoretical questions that have been emerging in the studies, accompanying the anthropological debates on contemporary society while showing the possible dialogue between anthropology and other areas of knowledge, on the one hand, and the social problems of Brazilian society itself, on the other.

Key-words aging, Brazilian urban anthropology, memory

 

Trajectoire des études sur la vieillesse au Brésil

Cet article retrace la trajectoire des recherches anthropologiques sur la vieillesse réalisées au Brésil depuis les années 70, tout en présentant les débats actuels et les projets de recherche les concernant. Dans le domaine des études sur la vieillesse, plusieurs thématiques ont été retenues: identité sociale, mémoire, trajectoire de vie, sociabilité, espace urbain, travail et retraite, genre, famille et corps. découpage historique souligne les questions théoriques qui ont été incorporées dans les études, accompagnant les débats anthropologiques sur la société contemporaine, tout en montrant l’interlocution possible de l’anthropologie avec les autres domaines de la connaissance et avec les problèmes sociaux de la société brésilienne.

Mots-clés vieillesse, anthropologie urbaine brésilienne, mémoire

 

 

Trayectoria de los estudios de vejez en Brasil

Este artículo pretende trazar la trayectoria de los estudios antropológicos sobre la vejez, realizados en Brasil desde la década de 1970 y presentar las discusiones actuales y sus desdoblamientos en proyectos de investigación. Dentro del campo de estudios sobre la vejez, fueron escogidas algunas temáticas: identidad social, memoria, trayectoria de vida, sociabilidad, espacio urbano, trabajo y reposo, género, familia y cuerpo. El recorte histórico intentó apuntar a las cuestiones teóricas que fueron siendo incorporadas a los estudios, acompañando los debates antropológicos sobre la sociedad contemporánea al mismo tiempo en que muestra la posible interlocución de la antropología con otras áreas de conocimiento y con los problemas sociales de la propia sociedad brasileña.

Palabras-clave vejez, antropología urbana brasileña, memoria

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Referências bibliográficas

Alves, Andréa Moraes (2001), “Velhice, mudança social e percepção do risco”, em G. Velho e K. Kuschnir (orgs.), Mediação, Cultura e Política, Rio de Janeiro, Aeroplano Editora, pp. 213-236.         [ Links ]

Alves, Andréa Moraes (2004), A Dama e o Cavaleiro: Um Estudo Antropológico sobre Envelhecimento, Gênero e Sociabilidade, Rio de Janeiro, FGV Editora.

Ariès, Philippe (1981), A História Social da Família e da Criança, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor. Bauman, Zygmunt (2004), Amor Líquido: Sobre a Fragilidade dos Laços Humanos, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor.

Benjamin,Walter (1987), “O narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov”, Obras Escolhidas: Magia e Técnica, Arte e Política, São Paulo, Ed. Brasiliense, pp. 197-221.

Bosi, Ecléa (1979), Memória e Sociedade: Lembranças de Velhos, São Paulo, Biblioteca de Ciências Humanas, USP. Bourdieu, Pierre (1996), Razões Práticas. Sobre a Teoria da Ação. São Paulo, Papirus.

Britto da Motta, Alda (2002), “Envelhecimento e sentimento do corpo”, em M.C. de S. Minayo e C.E.A. Coimbra Jr. (orgs.), Antropologia, Saúde e Envelhecimento (coleção Antropologia e Saúde), Rio de Janeiro, Editora Fiocruz, pp. 37-50.

Britto da Motta, Alda (2004), “Sociabilidades possíveis: idosos e tempo geracional”, em C.E. Peixoto (org.), Família e Envelhecimento (coleção Família, Geração e Cultura), Rio de Janeiro, FGV Editora, pp. 109-144.

Caldeira, Teresa Pires do Rio (2000), Cidade de Muros: Crime, Segregação e Cidadania em São Paulo, São Paulo, Editora 34/Edusp.

Camarano, Ana Amélia (org.) (2004), Os Novos Idosos Brasileiros: Muito Além dos 60?, Rio de Janeiro, IPEA.

Candido, Antonio (1982), “A vida ao rés do chão”, Para Gostar de Ler (Crônicas Brasileiras, 5), São Paulo, Ed Ática, pp. 4-13.

Da Matta, Roberto (1979), Carnavais, Malandros e Heróis: Para uma Sociologia do Dilema Brasileiro, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor.

Debert, Guita Grin (1999), A Reinvenção da Velhice, São Paulo, Edusp/Fapesp.

Debert, Guita Grin (2001), “A família e as novas políticas sociais no contexto brasileiro”. Interseções: Revista de Estudos Interdisciplinares, 3 (2), Julho-Dezembro, pp. 71-92.

Delgado, Josimara (2002), “Memória e contemporaneidade: a experiência dos velhos trabalhadores aposentados”, Praia Vermelha: Estudos de Política e Teoria Social, 6, 1.º semestre, pp. 122-143.

Eckert, Cornélia (1997), “A saudade em festa e a ética da lembrança”, Estudos Feministas, 5 (1), pp. 182-192.

Eckert, Cornélia (2002), “A cultura do medo e as tensões do viver a cidade: narrativa e trajetória de velhos moradores de Porto Alegre”, em M. C. de S. Minayo e C. E. A. Coimbra Jr. (orgs.), Antropologia, Saúde e Envelhecimento (coleção Antropologia e Saúde), Rio de Janeiro, Editora Fiocruz, pp. 73-102.

Elias, Norbert (1994), A Sociedade dos Indivíduos. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor.

Elias, Norbert (2001), A Solidão dos Moribundos, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor.

Featherstone, Mike (1994), “O curso da vida: corpo, cultura e imagens do processo”, em G. G. Debert (org.), Antropologia e Velhice (série Textos Didáticos, 13), Campinas, IFCH/Unicamp, pp. 45-64.

Fonseca, Claudia (2004), Família, Fofoca e Honra: Etnografia de Relações de Gênero e Violência em Grupos Populares, Porto Alegre, UFRGS Editora.

Geertz, Clifford (1978), A Interpretação das Culturas, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor.

Goldani, A. M. (2001), “As famílias no Brasil contemporâneo e o mito da desestruturação”, Gênero em Tópicos: Leituras a Partir do Brasil, Núcleo de Estudos de Gênero — PAGU / UNICAMP. [CD-ROM]

Guedes, Simoni L. (1998), “Redes de parentesco e considerações entre trabalhadores urbanos: tecendo relações a partir dos quintais”, Caderno CRH (Centro de Recursos Humanos/UFBA), 29, Julho-Dezembro, pp. 189-208.

Halbwachs, Maurice (1968), La Mémoire Collective, Paris, PUF.

Hareven, Tâmara (1999), “Novas imagens do envelhecimento e a construção social do curso da vida”, Cadernos PAGU, 13, pp. 11-36.

Lins de Barros, Myriam Moraes (1981), “Testemunho de vida: um estudo antropológico de mulheres na velhice”, Perspectivas Antropológicas da Mulher, vol. 2, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, pp. 11-70.

Lins de Barros, Myriam Moraes (1987), Autoridade e Afeto: Avós, Filhos e Netos na Família Brasileira, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor.

Lins de Barros, Myriam Moraes (1997a), “O passado no presente: aos 70 falando do Rio de Janeiro”, Cadernos de Antropologia e Imagem, 4, pp. 91-119.

Lins de Barros, Myriam Moraes (1997b), “Densidade da memória, trajetória e projeto de vida”, Estudos Feministas, 5 (1), pp. 140-147.

Lins de Barros, Myriam Moraes (1999), “A cidade dos velhos”, em G. Velho (org.), Antropologia Urbana: Cultura e Sociedade no Brasil e em Portugal, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, pp. 43-57.

Lins de Barros, Myriam Moraes (2001), “Redes sociais e cotidiano de velhos num subúrbio carioca”, Interseções: Revista de Estudos Interdisciplinares, 3 (2), Julho-Dezembro, pp. 233-246.

Lins de Barros, Myriam Moraes (2003), “Testemunho de vida: um estudo antropológico de mulheres na velhice”, em M. M. Lins de Barros (org.), Velhice ou Terceira Idade? Estudos Antropológicos sobre Identidade, Memória e Política (3.ª ed.), Rio de Janeiro, FGV Editora, pp. 113-168.

Lins de Barros, Myriam Moraes (2006), “Gênero, cidade e geração: perspectivas femininas”, em M. M. Lins de Barros, Família e Gerações, Rio de Janeiro, Editora FGV, pp. 17-38.

Lins de Barros, Myriam Moraes, e Roseli Elias (1992), “O perfil dos idosos do Município de Angra dos Reis”, Cadernos CEAS, 141, Setembro-Outubro, pp. 52-66.

Mannheim, Karl (1982), Sociologia. Marialice M. Foracchi (org.), São Paulo, Ática.

Medeiros, Marcelo, e Débora Diniz (2004), “Envelhecimento e deficiência”, em A. A. Camarano (org.), Os Novos Idosos Brasileiros: Muito Além dos 60?, Rio de Janeiro, IPEA, pp. 107-120.

Menezes, Rachel Aisengart (2004), Em Busca da Boa Morte: Antropologia dos Cuidados Paliativos, Rio de Janeiro, Ed. Fiocruz/Garamond Universitária.

Minayo, Maria Cecília de Souza (2003), “Violência contra idosos: relevância para um velho problema”, Cadernos de Saúde Pública, 19 (3), pp. 783-791.

Peixoto, Clarice Ehlers (2000), Envelhecimento e Imagem: As Fronteiras entre Paris e Rio de Janeiro, São Paulo, Annablume.

Peixoto, Clarice Ehlers (2003), “Entre o estigma e a compaixão e os termos classificatórios: velho, velhote, idoso, terceira idade…”, em M. M. Lins de Barros (org.), Velhice ou Terceira Idade? Estudos Antropológicos sobre Identidade, Memória e Política (3.ª ed.), Rio de Janeiro, FGV Editora, pp. 69-84.

Peixoto, Clarice Ehlers (2004), “Aposentadoria: retorno ao trabalho e solidariedade familiar”, em C. E. Peixoto (org.), Família e Envelhecimento (coleção Família, Geração e Cultura), Rio de Janeiro, FGV Editora, pp. 57-84.

Saboia, João (2004), “Benefícios não-contributivos e combate à pobreza de idosos no Brasil”, em A. A. Camarano (org.), Os Novos Idosos Brasileiros: Muito Além dos 60?, Rio de Janeiro, IPEA, pp. 353-410.

Scott, Russel, Parry (2001), “Famílias sem casais e a diversidade conjugal no Brasil”, Interseções: Revista de Estudos Interdisciplinares, 3 (2), pp. 93-112.

Sennet, Richard (1999), A Corrosão do Caráter: Consequências Pessoais do Trabalho no Novo Capitalismo, Rio de Janeiro, Record.

Simmel, Georg (1973), “A metrópole e a vida mental”, em O. G. Velho (org.), O Fenômeno Urbano, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, pp. 11-25.

Simões, Júlio Assis (1997), “Solidariedade intergeracional e a reforma da previdência”. Estudos Feministas, 5 (1), pp. 169-181.

Simões, Júlio Assis (2004), “Provedores e militantes: imagens de homens aposentados na família e na vida pública”, em C. E. Peixoto (org.), Família e Envelhecimento (coleção Família, Geração e Cultura), Rio de Janeiro, FGV Editora, pp. 25-56.

Strauss, Anselm L. (1999), Espelhos e Máscaras, São Paulo, Edusp.

Velho, Gilberto (1978), A Utopia Urbana: Um Estudo de Antropologia Social (3.ª ed.), Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor.

Velho, Gilberto (1981), Individualismo e Cultura: Notas para uma Antropologia da Sociedade Contemporânea, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor.

Velho, Gilberto (1994), Projeto e Metamorfose: Antropologia das Sociedades Complexas, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor.

 

* Myriam Moraes Lins de Barros. Professora titular da Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, doutora em antropologia social. mlbarros@ess.ufrj.br

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons