SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número1Governar a educação, diversidade nacional e as cidadanias globalizadas na Grã-BretanhaDa migração dos pais à escolarização dos filhos: O caso dos portugueses em França índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Portuguesa de Educação

versão impressa ISSN 0871-9187

Rev. Port. de Educação v.20 n.1 Braga jan. 2007

 

Estado-nação, educação e cidadanias em transição

Almerindo Janela Afonso1

Emílio Lucio-Villegas Ramos2

 

1Universidade do Minho, Portugal

2Universidade de Sevilha, Espanha

Resumo

Começando por chamar a atenção para a pluralidade de processos históricos e sentidos que subjazem às ideias de nação e de Estado, os autores convocam algumas perspectivas que ajudam a esclarecer as suas diferenças conceptuais e a perceber a construção das suas eventuais convergências, frequentemente designadas pela expressão Estado-nação. Com o contributo da escola pública e dos processos de violência simbólica (e até, em muitos casos, do uso da violência física), a construção da cidadania ocorre inicialmente em função daquele binómio político e identitário, mas vai sendo alterada à medida em que se desenvolvem outros processos históricos, económicos e sociais, e de democratização política e cultural. Perante as mutações contemporâneas em curso e as suas implicações em termos educacionais, os autores propõem a designação de cidadanias em transição para mostrar a actual instabilidade do conceito de cidadania, agora marcado pela redefinição do papel do Estado e pela eventual desarticulação do binómio Estado-nação, bem como pelos processos de globalização e transnacionalização.

Palavras-chave

Estado-nação; Globalização; Educação; Redefinições de cidadania

 

Nation-State, Education and Citizenships in Transition

Abstract

Starting by calling attention to the plurality of historical processes and meanings that underlie the idea of nation and State, the authors deal with some approaches that help to clarify conceptual differences and to understand the construction of possible convergences often referred by the expression of nation-State. With the contribution of the State funded school (public school) and the processes of symbolic violence (and even, in many situations, of the use of physical violence), the construction of citizenship initially occurs depending on that political and identitarian binominal; however it has been changing as far as other historical, economic and social processes and political and cultural democratization are under development. Facing contemporary shifts in progress and considering its implications in educational terms, the authors propose the expression citizenships in transition to stress the present instability of the concept of citizenship, now framed by the redefinition of the role of the State and the possible disarticulation of the binominal nation-State, as well as by the processes of globalization and trans-nationalization.

Keywords

Nation-State; Globalization; Education; Citizenship redefinition

 

Estado-Nación, Educacion y Ciudadanías en Transición

Resumen

Comenzando por llamar la atención sobre la pluralidad de procesos históricos y de significados que subyacen a la idea de nación y de Estado, los autores señalan algunas perspectivas que ayudan a esclarecer sus diferencias conceptuales y a percibir la construcción de sus eventuales convergencias, normalmente designadas por la expresión Estado-nación. Con la aparición y desarrollo de la escuela pública y de los procesos de violencia simbólica (e incluso, en muchos casos, el uso de la violencia física) la construcción de la ciudadanía se desenvuelve inicialmente en función de aquel binomio político e identitario, pero va siendo alterada en la medida en que van desarrollándose otros procesos históricos, económicos y sociales, y de democratización política y cultural. Ante los cambios actuales y sus implicaciones en términos educacionales, los autores proponen la noción de ciudadanías en transición para mostrar la actual inestabilidad del concepto de ciudadanía, sujeto, en este momento, a la redefinición del papel del Estado y a la eventual desarticulación del binomio Estado-nación, así como a los procesos de globalización y transnacionalización.

Mots-clé

Estado-nación; Globalización; Educación; Redefiniciones de ciudadanía

 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text only available in PDF format.

 

 

Referências

AFONSO, Almerindo J. (1999). Educação Básica, Democracia e Cidadania: Dilemas e Perspectivas. Porto: Afrontamento.        [ Links ]

AFONSO, Almerindo J. (2001). A redefinição do papel do Estado e as políticas educativas: elementos para pensar a transição. Sociologia, Problemas e Práticas, nº 36, pp. 33-48.

AFONSO, Almerindo J. & ANTUNES, Fátima (2001). Educação, cidadania e competitividade: algumas questões em torno de uma nova agenda teórica e política. Cadernos de Ciências Sociais, nºs 21-22, pp. 5-31.

ALMEIDA, Lúcio Flávio (1998). Estado, nação, transnacionalização: reflexões em torno do Manifesto do Partido Comunista. Lutas Sociais, nº 4, pp. 19-26.

ANDERSON, Benedict (1993). Comunidades Imaginadas. Reflexiones sobre el Origen y la Difusión del Nacionalismo. México: Fondo de Cultura Económica.

ANTUNES, Fátima (2001). Os locais das escolas profissionais: novos papéis para o Estado e a europeização das políticas educativas. In S. R. Stoer; L. Cortesão & J. A. Correia (orgs.), Transnacionalização da Educação. Da Crise da Educação à ‘Educação’ da Crise. Porto: Afrontamento, pp. 163-208.

APPADURAI, Arjun (1997). Soberania sem territorialidade: notas para uma geografia pós-nacional. Novos Estudos Cebrap, nº 49, pp. 33-46.

BAUMAN, Zygmunt (2005). Identidade. Madrid: Losada.

BECK, Ulrich (1998). La Sociedad del Riesgo. Hacia una Nueva Modernidad. Barcelona: Paidós.

BRESSER-PEREIRA, L. Carlos (2007). Globalização e Estado-nação [em linha], [consultado em 30. Mar. 2007, disponível em http://www.bresserpereira.com.br].

CENTENO, Rui & NOVAIS, Rui (orgs.) (2006). Timor Leste – da Nação ao Estado. Porto: Afrontamento.

COOK-GUMPERZ, Jenny, org., (1988). La Construcción Social de la Alfabetización. Barcelona: Paidós.

CROWTHER, Jim (2006). Social Movements, praxis and the profane side of lifelong learning. In J. Crowther & P. Sutherland (eds.), Lifelong Learning. Concept and Contexts. Londres: Routledge, pp. 171-180.

DALE, Roger (1989). The State and Education Policy. Milton Keynes: Open University Press.

FARSAKH, Leila (2007). Chegou a hora de um Estado binacional. Le Monde Diplomatique, nº 5, II Série, Março, p. 7.

FRAGOSO, António & LUCIO-VILLEGAS, Emilio (2003). Local development and social change: some reflections on an ongoing research. In AA.VV., Wider Benefits of Learning. Lisboa: Edições Lusófonas, pp. 197-201.

FRASER, Nancy (1995). From redistribution to recognition? Dilemas of justice in a ‘post-socialist’ age. New Left Review, nº 212, pp. 68-93.

FREIRE, Paulo (1985). Pedagogía del Oprimido. Madrid: Siglo XXI.

GIROUX, Henry (1990). Los Profesores como Intelectuales. Barcelona: Paidós.

GÓMEZ, José Maria (2000). Política e Democracia em Tempos de Globalização. Petrópolis: Vozes.

HABERMAS, Jürgen (1995). O Estado-nação europeu frente aos desafios da globalização. Novos Estudos Cebrap, nº 43, pp. 87-101.

HABERMAS, Jürgen (1999). The european Nation-State and the pressures of globalization. New Left Review, nº 235, pp. 46-59.

HATTERSLEY, Roy (2006). The Edwardians. Londres: Abacus.

HOBSBAWM, Eric (2000). Entrevista sobre el Siglo XXI. Al Cuidado de Antonio Polito. Barcelona: Critica.

HELD, David (1997). La Democracia y el Orden Global. Barcelona: Paidós.

HIRSCH, Joachim (2000). Estado nacional, nacionalismo y conflicto de clases. Revista Herramienta, nº 10 [em linha], [Consultado em 14.Out.2006, disponível em http://www.herramienta.com.ar].

HIRSCH, Joachim (2001). El Estado Nacional de Competencia. México: Univ. Autonoma Metropolitana.

LIMA, Licínio C. (2007). Educação ao Longo da Vida – Entre a Mão Direita e a Mão Esquerda de Miró. São Paulo: Cortez.

LUCIO-VILLEGAS, Emilio & FRAGOSO, António (2003). Literacy, adult education and social change in Southern Europe: A case study. In D. Flowers (ed.), AERC 2003 Proceedings. San Francisco: San Francisco State University, pp. 261-266

O'CONNOR, James (1977). USA: A Crise do Estado Capitalista. Rio de Janeiro: Paz & Terra.

OFFE, Claus (1984). Contradictions of the Welfare State. Londres: Hutchinson.

OOMMEN, T. K. (1994). Estado, nação e etnia: os laços processuais. Revista Crítica de Ciências Sociais, nº 39, pp. 3-29.

PUHLE, Hans-Jürgen (2000). Cidadania e Estado-nação. In J. M. Viegas & E. C. Dias (orgs.), Cidadania, Integração, Globalização. Oeiras: Celta, pp. 25-35.

ROBERTSON, Roland (2006). Nacionalismo e identidade nacional no nosso tempo. In M. Villaverde Cabral; J. L. Garcia & H. M. Jerónimo (orgs.), Razão, Tempo e Tecnologia. Estudos em homenagem a Hermínio Martins. Lisboa: ICS, pp. 105-129.

SANTOS, Boaventura de Sousa (1997). Por uma concepção multicultural de direitos humanos. Revista Crítica de Ciências Sociais, nº 48, pp. 11-32.

SANTOS, Boaventura de Sousa (2001). Os processos de globalização. In B. S. Santos (org.), Globalização: Fatalidade ou Utopia? Porto: Afrontamento, pp. 33-106.

SOYSAL, Yasemin (1999). Identity, rights, and claims-making: changing dynamics of citizenship in postwar Europe. Conferência na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (texto policopiado).

SUCHODOLSKI, Bogdan (1975). Tratado de Pedagogía. Barcelona: Península.

TORRES, Carlos Alberto (2001). Educação, democracia e cidadania: tensões e dilemas no mundo contemporâneo. In A. Teodoro (org.), Educar, Promover, Emancipar. Lisboa: Ed. Universitárias Lusófonas, pp. 17-39.

VARGAS, Virginia (2001). Ciudadanias globales y sociedades civiles globales. Pistas para el analisis. Forum Social Mundial [em linha]. [Consultado em 14.Out.2006, disponível em www.forumsocialmundial.org.br].

WILLIAMS, Raymond (2004). En la Frontera. Barcelona: Dialogos.

WILLIS, Paul (1988). Aprendiendo a Trabajar. Madrid: Akal.

 

Recebido em Janeiro, 2007

Aceite para publicação em Maio, 2007

 

 

Toda a correspondência relativa a este artigo deve ser enviada para: Almerindo Janela Afonso, Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho, Campus de Gualtar, 4710-057 Braga, Portugal. E-mail: ajafonso@iep.uminho.pt